terça-feira, 9 de outubro de 2012

Estamos no Face!!


Meninas, Bom dia, Boa tarde.. Boa noite!!

Infelizmente não estou tendo tempo pra administrar esse Blog e responder todas as perguntas que recebo.. Disso gostaria de convidá-las a seguir o Diário de Cleidi Souza, criado no facebook onde tenho colocado muito do que já vinha desenvolvendo aqui!!! Será um prazer tê-las conosco!!

Adicione: Diário de Cleidi Souza - https://www.facebook.com/espaco.loli 
Fan Page: https://www.facebook.com/pages/Consult%C3%B3rio-de-Psican%C3%A1lise-Cl%C3%ADnica-Bairro-PradoBelo-Horizonte/156237237764096

Abraço!
Cleidi Souza

Consultório de Psicanálise Clínica Maria Romanhol

• Atendimento Clínico (Fobias/Pânico, Depressão, Estresse, Uso abusivo de álcool e drogas, Medos, Complexos, Impulsividade, Dificuldade de aprendizado, dentre outros)

• Terapia Casal e Familiar

• Transtornos de Ansiedade/Humor/Personalidade

• Transtornos da Sexualidade (Ejaculação precoce, Compulsão/Aversão, Vaginismo, Dores, Falta orgasmos, dentre outros)

• TDSH – Ausência Desejo Sexual.

Tel.: 31 3317-1818//9209-5980 - E-mail: consultoriopsicanalisemr@gmail.com

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Programação Curso de Pompoarismo

Agenda de cursos de Pompoarismo em grupo 2012, no Espaço de Saúde Intíma Brigthe Loli.
Duração: 3 horas em 1 único dia

11 de Agosto, sábado às 10:00 horas
28 de Julho, sábado às 10:00 horas
02 de Julho, segunda às 17 horas
30 de Junho, sábado às 10 horas
02 de Junho, sábado às 10 horas 
26 de Maio, sábado às 10 horas
19 de Maio, sábado às 10 horas
05 de Maio, sábado às 10 horas 
28 de Abril, sábado às 10 horas 
14 de Abril, sábado às 10:00 horas 
31 de Março, sábado às 10:00 horas
24 de Março, sábado às 10:00 horas 
17 de Março, sábado às 10:00 horas
03 de Março, sábado às 10:00 horas
14 de Fevereiro, terça às 17:00 horas
11 de Fevereiro, sábado às 10:00 horas
08 de Fevereiro, quarta às 14:00 horas
04 de Fevereiro, sábado às 14:00 horas
04 de Fevereiro, sábado às 10:00 horas
21 de Janeiro, sábado às 14:00 horas
21 de Janeiro, sábado às 10:00 horas

Para saber sobre cursos particulares, entre em contato pelo e-mail autoestimafeminina@gmail.com

terça-feira, 6 de março de 2012

O contrário do Amor

O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.


Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo e pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.

Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência. Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.


Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.

Texto de Martha Medeiros

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Saiba um pouco mais sobre Pompoarismo

O que é?
Arte oriental surgida há milênios e transmitida de mãe para filha como forma de preparar o corpo para a vida sexual adulta. Teve seu aperfeiçoamento no Japão e na Tailândia, transformando as orientais nas maiores seguidoras do pompoarismo.
Hoje, alcança milhares de adeptas no Brasil que além de querem fortalecer a vagina, buscam também uma maior consciência vaginal.
O fortalecimento do canal vaginal permite um aumento do prazer sexual através de movimentos feitos em seu interior. Na verdade, a mulher pompoarista proporciona e sente mais prazer, pois além da musculatura estar mais forte, o órgão fica mais sensível. Assim, pode-se dizer que ocorre uma melhora do desempenho sexual que vem com o fortalecimento da musculatura genital.

Para que?
O que se pretende é que através dos movimentos voluntários consiga-se identificar e fortalecer a musculatura vaginal fazendo do pompoarismo uma técnica de autoconhecimento. Vale ressaltar que a capacidade dos movimentos realizados no canal é natural a todas as mulheres e que o feixe de anéis vai desde a entrada do canal vaginal até o seu interior e podem ser movimentados em conjunto ou separadamente, mas que na grande maioria das mulheres tal musculatura encontra-se atrofiada devido à falta de exercício e utilização.

Para quem?
Muitas mulheres não conhecem os músculos da região pélvica e descobrem que é possível ter sensações muito prazerosas ao movimentá-los. Com o treino é possível aprender os movimentos semelhantes as contrações involuntárias durante o orgasmo. O músculo pubococcígeo é situado no períneo, região entre o órgão genital e ânus. Ele possibilita um maior prazer na penetração vaginal devido ao aumento da sensibilidade aos estímulos físicos. A mulher passa a reconhecer em seu corpo seus pontos de estimulação e respostas intensas erógenas. O orgasmo chega mais rápido e a técnica é capaz de intensificá-lo.

Como funciona?
As contrações pélvicas aumentam a circulação melhorando o fluxo sanguíneo protegendo a saúde íntima. Estudos comprovam que tais exercícios que podem ser executados em qualquer momento, local ou hora, são capazes de liberar endorfinas e aumentar a produção de feromônios.

No início o fortalecimento muscular genital foi visto de uma forma pejorativa e preconceituosa, não levando a sério a importância de tal prática. O pompoarismo não pretende fazer da mulher uma acrobata sexual, mas comandar os músculos pubococcígeos, os grandes e pequenos lábios e cada anel do canal vaginal de forma consciente.


Boa parte do sexo encontra-se na cabeça. Se o emocional vai bem, a técnica pode ajudar, caso contrário, nada feito.
O que o pompoarismo quer é explorar e desenvolver com maior intensidade a própria satisfação sexual através de exercícios fáceis e agradáveis, melhorando as condições musculares do assoalho pélvico com alguns dias de treinamento.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Programa Amor e Sexo: Muitos produtos eróticos ganham notoriedade porque são realmente fantásticos.

Video na internet com a Fernanda Lima em pessoa mostrando como funciona o massageador!

Cremos que um espaço como esse é muito valioso para que as pessoas se aproximem dos produtos diferenciados de maneira lúdica e saudável, e que possam assim exercer sua sexualidade de forma plena, conhecendo novos estímulos prazerosos sem tabus.

video


Feitos no Japão, esses “ovos” prometem levar a masturbação a um outro patamar. Dentro da embalagem em forma de casca, você encontra uma peça de silicone que imita um ovo (até o tamanho é parecido), porém oca e com um orifício na base.

Por dentro texturas que garantem um leque de sensações. 

video

Será que a nossa felicidade está na Mão do outro?

Cleidi, eu gosto de 'Meninas' e queria pedir sua opinião. Ninguém me olha. Eu sou bonita, mas todas as vezes que eu saio ninguém chega em mim e quando dou o primeiro passo muitas vezes não dá certo. O que será que acontece? Será que é algo comigo mesma? Até gosto muito de mim mas me bate uma tristeza por estar sozinha. Eu sinto uma necessidade de ter alguém na minha vida, deve ser até mesmo pelo fato de eu ser muito carente, mas isso tem que mudar né? E quando eu encontro alguém , me entrego por inteiro e acabo me machucando.

Oi querida, seja muito bem vinda!
A sua opção sexual aqui acho que vai ficar como a última parte da nossa conversa, mesmo porque é uma opção como tantas outras escolhas da sua vida, a sua opção de ser feliz, sua busca, o que você acredita!

Acho que o deveríamos olhar nesse momento é para dentro de você, como você se vê? Você se aceita? Quem é você? Para essas perguntas são necessárias respostas que partem de uma 'vozinha' que tá escondida lá no peito, perto do coração. Procure voltar para dentro de si e buscar em seu próprio interior essas respostas de que tanto necessita. Forçar os acontecimentos externos: gostaria que as pessoas me olhassem, gostassem, que me procurassem nessa hora pode ser frustrante, pois o momento envolve a necessidade de introspecção e aceitação. Reconhecer e respeitar os próprios limites não é um ato derrotista e sim um ato adulto.

As vezes, ficamos perdidos diante dos nossas escolhas e muitas vezes nos excluímos e culpamos os outros...

O medo de não se encontrar no outro, acontece com todas as pessoas, estamos numa era de busca, às vezes imediatistas. Que somente encontraremos nossa felicidade nos braços de alguém. Você só tem vinte e poucos anos, e muito ainda tem a acontecer na sua vida, muitos encontros, desencontros... e isso vai lhe fazer mais forte, mais segura e mais madura também.

Valorize-se, creia em seus sentimentos e não os entregue tão rapidamente com intuito de sarar uma carência. Quanto mais você dedicar o seu amor a você, mais as pessoas vão lhe admirar, porque você se gosta e isso é uma lei, isso irradia!

Pense com carinho nisso... e busque lhe surpreender, lhe trazer novidades, amizades e não cultivar perdas!

Espero ter lhe ajudado um pouco.
Um abraço,
Cleidi Souza

Você é capaz de controlar o seu Ciúmes?

Acompanho seu blog, talvez você possa me ajudar.Namoro a 6 anos, mas sou muito ciumenta, desconfiada, procuro "coisa" onde não tem, gostaria você me ajudasse a melhorar, a deixar de ser assim.

Oi minha querida!!
Seria tão bom se tivéssemos uma varinha de condão e essa resolvesse e tirasse todas as nossas limitações né!

Ciúmes, desconfianças, apegos, são assuntos que levaríamos mais tempo pra buscar soluções que uma breve conversa... mas espero poder lhe dar um norte. Um passo muito importante já foi dado, aceitar e ver que isso não lhe faz bem.

A origem etimológica da palavra ciúme vem do latim zelumen e do grego zelos, por isso, muitas vezes ele é encarado como uma prova de amor, de cuidado com o outro. 

É um sentimento ligado ao amor, mas que traz dor e angústia, é o medo de perder, um receio que o ser amado se dedique a outro.

Daí acontecem as substituições trazendo sofrimento tanto pra quem sente, quanto por quem passa. As vezes nos dedicamos tanto ao relacionamento, que confundimos dedicação com posse, cuidado com zelo excessivo, e temos certeza que todo este tempo de dedicação a esse relacionamento que essa pessoa nos pertence.

E queria que observasse que essa cobrança, esse medo da perda, esta relacionado não somente a falta de confiança no outro, mas em si mesma, e em exagero pode-se tornar-se patológico. Então acredito que o primeiro passo seria trabalhar sua auto-estima e a valorização da auto-imagem. Para que esse sentimento de apego excessivo diminua. Pois pra ser bom é necessário que você seja apresentada novamente a sua individualidade, e que você consiga se dedicar aos vários 'amores' de sua vida, sua profissão, sua escola, sua família, seus hobbys, suas crenças e seu relacionamento seja um complemento saudável.

A individualidade é essencial. Esse é o primeiro passo.

Sempre que precisar estarei a sua espera!!
Cleidi

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Você perdoria uma traição?

Cleidi, gostaria muito de sua ajuda, a mais de dois meses passo por um grande dilema: fui traída, me sinto destruída, mas não consigo saber se quero ou não continuar. O que devo fazer?

Talvez eu até fuja um pouco da questão voltar  ou não, mas enfatizo a questão onde você diz FUI TRAÍDA. Eu lhe pergunto, o que é TRAIÇÃO?

Será você a culpada? Ou o relacionamento? As crises? A vivência? Não sabemos, não é mesmo.

Mas acredito com muita convicção VOCÊ NÃO FOI TRAÍDA e sim quem estava com você, o seu namorado, ou marido... Pelo que você disse, acredito que você tenha dado a este relacionamento valores como RESPEITO, CONFIANÇA, talvez até LIBERDADE , mas não são todas as pessoas que sao capazes de RECEBER sentimentos como estes, talvez ele nunca tenha encontrado alguém que o respeitasse que o quisesse bem, talvez não tenha aprendido a receber isto ao longo de sua criação, e quando recebeu não conseguiu administrar.

Então a  pergunta que você me fez eu não sou capaz de responder, mas você sim. Você é capaz de perdoar? Você acredita nesta reconciliação? Você é capaz de externar está mágoa?

Caso a resposta seja POSITIVA, não tenha vergonha, você esta buscando e lutando pelo que acredita.
Caso seja NEGATIVA: Saiba que você encontrará muitas pessoas capazes de aceitar e receber sentimentos nobres e a vida é muito longa e importante para perder o sentido por um término. Ainda vamos ganhar e perder muito nesta vida.

Espero que eu tenha ajudado um pouquinho. 

Sempre que precisar estarei a sua espera!!
Até a próxima,
Cleidi

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Confissões de uma adolescente

Sou sua fã! Preciso de sua ajuda, a pouco comecei minha vida sexual e estou saindo com um garoto que acha que sou uma 'expert'. Ele está cheio de expectativas em relação a mim e não sei o que faço, pois ele me considera tímida e calada. Tenho receio em sair com ele e depois a nossa 'transa' não dar certo e ele sair fora. Ser tímida é um problema para os homens? O que devo fazer para ele não me considerar fraquinha?



 

Oi querida,
 
Que bom ter você por aqui, acompanhando o meu trabalho:
seja bem vinda!
 
É, na sua idade é muito comum ter dúvidas como está.
Pela história que contou, tenho uma sugestão, assumir primeiramente pra você a fase em que esta passando. Neste momento você está iniciando a sua vida sexual, não há nada mais normal que isso: a descoberta do seu corpo, de suas limitações, 'a descoberta de uma nova mulher'. Não omita isso e também de quem estiver com você. Se este rapaz realmente lhe respeita e gosta vai entender perfeitamente, a partir de uma conversa franca, sem rodeios, vai lhe admirar ainda mais.

 
Respeite sua cabecinha e também o seu corpo e não passe por cima dos seus valores , ser tímida e calada também tem seu encantamento. Procure estar com pessoas, digo um namorado que vá crescer com você e que não cobre ser 'boa' ou 'fraquinha'. E me conta onde você ouviu isto?

 Esqueça os modelos prontos, o desempenho contado pelas amigas com certeza tem muito da imaginação e provavelmente não foi o que aconteceu. Ninguém é fraquinho, você não é fraquinha, você está se descobrindo, pense nisto.

E sempre que quiser conversar estou a sua disposição.
Abraço,
Cleidi Souza
Meninas, Boa tarde,

É com muito prazer que retornamos as atividades deste ano de 2012, e confesso que já estava com saudade deste blog, que é onde tenho um contato direto com vocês e tenho o prazer de escrever sobre "tabus" de uma forma simples e descontraída.

Fiquem a vontade pra mandarem suas perguntas, dúvidas, darem sugestões, críticas... afinal esse espaço é todo nosso e muito democrático!

Um abraço, e já já volto com novidades!!

E-mail: autoestimafeminina@gmail.com
Loja virtual: www.brigiteloli.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1569287313
MSN: cleidisouza@live.com